José de Azevedo e Menezes

Ações disponíveis

Ações disponíveis ao leitor

Consultar no telemóvel

Código QR do registo

Partilhar

 

José de Azevedo e Menezes

Detalhes do registo

Nível de descrição

Fundo   Fundo

Código de referência

PT/MVNF/AMAS/JAM

Tipo de título

Atribuído

Título

José de Azevedo e Menezes

Datas de produção

1818-03-09  a  1998 

Dimensão e suporte

445 u.i.; papel.

Entidade detentora

Município de Vila Nova de Famalicão - Arquivo Municipal Alberto Sampaio

Produtor

Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadeMeneses, José de Azevedo e. 1849-1938 JAM Produtor

História custodial e arquivística

Esta documentação do Fundo José de Azevedo e Menezes entrou no Arquivo Municipal Alberto Sampaio em 10/06/2015 data em que foi assinado o contrato de doação numa cerimónia que teve lugar na Casa do Vinhal, propriedade da família de José de Azevedo e Menezes, com as presenças do Presidente da Câmara Municipal e de Martim Lopes de Azevedo e Menezes, bisneto desta figura marcante da história do concelho.

Âmbito e conteúdo

Famalicense ilustre, José de Azevedo e Menezes (1849-1938), como ficou conhecido, mas de seu nome completo José de Azevedo e Menezes Cardoso Barreto, foi um erudito que colaborou em variadíssimos jornais: Novidades, O Primeiro de Janeiro, Nova Alvorada, Correio do Minho, Progresso Católico e A Palavra, do Porto, de que foi um dos fundadores. Publicou Ninharias (1911) e projetou reunir em 6 vols. a vasta colaboração dispersa, que julgamos não ter vingado. Exerceu cargos importantes na sua terra natal, a que foi extremamente devotado: 2.° provedor do Hospital de S. João de Deus (1880-1881), presidente da Câmara Municipal (1896-1898), presidente e fundador da Conferência de S. Vicente de Paulo, tendo sido um dos inspiradores da reconstrução da casa de São Miguel de Seide, destruída pelo incêndio de 1915, e que é hoje a Casa-Museu de Camilo. Foi o principal responsável (se não exclusivo) da elaboração do Camilo Homenageado, redigindo os resumos das cartas (ainda) existentes em Seide, trabalho exaustivo e meritório, quaisquer que sejam as suas deficiências.Conheceu pessoalmente o romancista devido ao seu parentesco com o visconde de Azevedo e com ele se correspondeu, tendo oferecido à Casa-Museu os autógrafos (de 13 cartas e 2 bilhetes) recebidos de Camilo, em regra sobre temas genealógicos. "O maço destes autógrafos", lê-se no Camilo Homenageado, "contém recibo da importância, que deu por eles o destinatário à Sr.ª D. Ana Rosa Correia e a seus filhos, netos do insigne escritor Camilo Castelo Branco" (nota de p. 5). Perguntará o leitor: como é que as cartas que deviam estar de posse do destinatário, este teve de as pagar a Rosa Correia? Não se entende.Numas páginas de memórias ("Grata Lembrança de Camilo/Como eu o conheci"), José de Azevedo e Menezes narra algumas das suas reminiscências: "Vi-o pela primeira vez em 1871, no Porto, em casa do tio Azevedo [o 1.º conde e 1.º visconde de Azevedo], que era seu amigo dedicado. […] Lembro-me ainda das animadas palestras literárias, em que o fecundo romancista e outros eruditos tomavam parte na livraria do velho amigo titular […] Tenho ainda a visão longínqua da sua figura proeminente, parada à porta da livraria Moré, no Porto, na roda de amigos e admiradores, e vestindo à moda romântica do tempo" (in Camilo Homenageado, pp. XXXI - XXXIV).Na Nova Alvorada, de que foi também colaborador, José de Azevedo e Menezes estampou uma das cartas de Camilo, antecedida destas palavras:"A publicação das cartas de Camilo, em edição de luxo, promovida pelos seus amigos e admiradores, seria o mais glorioso e perdurável monumento devido à Saudosa memória do laureado escritor" (n.°2, de 1-6-1891).Fonte: CABRAL, Alexandre - Dicionário de Camilo Castelo Branco. Lisboa : Caminho, 2003.De nome completo José de Azevedo e Menezes Cardoso Barreto, por sucessão, herdou a Casa do Vinhal, o Solar dos Pinheiros, de Barcelos, e o Morgado de Pouve, situado na freguesia de S. Paio de Ceide, de Vila Nova de Famalicão.Para ver http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/cla(...)Fonte:Correspondência de José de Azevedo e Menezes (1878-1933) / introd., leitura e notas Emília Nóvoa Faria. V. N. Famalicão : Húmus, 2018-2019. Vol. 1 : Camilo homenageado / pref. Artur Anselmo. 2018. Vol. 2 : Política, cultura, cidadania / pref. Luís Ferraz. 2019.

Sistema de organização

O arquivo apresentava uma estrutura original própria que se manteve. O plano de classificação estabelecido abrange:Série A Correspondência recebida 394 u.i. (391 remetentes).Série B Documentos de investigação histórica 37 u.i.Série C Documentos Camilianos 2 u.i.Série D Documentos sobre política 2 u.i.Série E Documentos sobre o arquivo de JAM 5 u.i. Série F Documentos pessoais de JAM 5 u.i.Série G Correspondência para outros familiares de JAM 2 u.i.

Condições de acesso

Comunicável, sem restrições legais

Idioma e escrita

Português

Características físicas e requisitos técnicos

Em bom estado de conservação

Instrumentos de pesquisa

ODA

Relações com registos de autoridade

Relações com registos de autoridade
Registo Código Tipo de relação Datas da relação
Registo de autoridadeMeneses, José de Azevedo e. 1849-1938 JAM Produtor